• UP - Gestão e Pessoas

Inteligência Emocional

Muito se fala em inteligência emocional na atualidade, especialmente nos espaços corporativos. Enquanto inteligência emocional trata-se da gestão dos seus sentimentos e emoções, encontra-se em diversos discursos a alusão de que gestão das emoções é estar sempre no controle delas.


Enquanto seres humanos, estar no controle de tudo parece ser um pouco irreal. A gestão das emoções aproxima-se mais do fato de que podemos e iremos sentir, mas de que somos capazes de lidar com tudo isso, seja criando espaços de fala, seja pela compreensão e análise dos sentimentos (entender de onde vem os sentimentos e por que sentimos o que sentimos) ou pela simples resolução daquilo que nos causa tais sentimentos.


Ao longo da construção que temos por sociedade, falar de suas emoções ainda é uma espécie de tabu, ainda mais quando se está no ambiente de trabalho (locais os quais, a maioria de nós, passa a maior parte do dia), onde lidamos com pessoas diversas, situações das mais variadas e com a expectativa de sucesso constantemente. Obviamente não estaremos 100% do tempo engajados, interessados, felizes e satisfeitos em nenhum âmbito de nossas vidas.


Portanto nos cabe criar saídas como sujeitos e cabe as empresas tratar seus colaboradores com empatia e respeito, bem como manter uma área de Gestão de Pessoas que esteja preparada e aberta a escuta das pessoas, não como forma de psicoterapia e sim como suporte e agente de mudança para melhoria da qualidade de vida das pessoas. Consequentemente, produzindo uma cultura de transparência pautada no respeito. Citando Carl Rogers, "o ser humano possui um importante valor... Por mais que o rotulem e o avaliem, ele continua sendo, acima de tudo, uma pessoa".


P.S.: Sempre que precisar de ajuda, procure. A psicoterapia é o espaço de fala que você pode encontrar para lidar com as questões que você possa ter.


250 visualizações