• UP - Gestão e Pessoas

Quem sou Eu?

Uma pergunta que deveria ser facilmente respondida, afinal, quem te conhece melhor do que você mesmo? Responder quem é você, uma pergunta curta e que poderia ser simples, muitas vezes gera um estado de congelamento e incertezas. Afinal, somos formados por experiências, por conceitos, crenças herdadas ou adquiridas, dogmas, valores... Somos formados por nossas habilidades, nossas competências, nossos comportamentos, nosso jeito de ser... Somos formados pelo o que acreditamos, por nossas metas e objetivos, pelo meio que estamos inseridos e pronto! O que poderia ser uma pergunta fácil de responder, se torna muito complexa.



Aliado a todos esses pontos que formam o nosso eu, ainda estamos inseridos em um mundo corrido, que nos cobra resultados o tempo todo! Um mundo que nos exige que sejamos iguais para que possamos nos encaixar e diferentes para que possamos nos destacar. Que nos colocam nos padrões dentro da caixa e depois nos falam que temos que pensar fora da caixa. Temos tantas coisas para fazer, tantas coisas para planejar, que pensar “Quem Sou eu” pode parecer perda de tempo.


É muito comum em Processos de Seleção, encontrarmos candidatos que simplesmente não conseguem se apresentar, ou devaneiam na resposta quando pedimos para falar um pouco de quem é ele e como é visto na sociedade. É fácil dizer qual a disciplina cursa, qual o prato predileto, o que mais valorizava no último trabalho e qual seria o trabalho ideal, mas quando perguntamos sobre quais são as suas principais competências e fraquezas, é comum encontrarmos dificuldade nas respostas.


Nesse momento, nos deparamos com respostas comuns ou socialmente bem aceitas, principalmente quando o assunto é o famoso defeito. Os candidatos recorrem a famosa ansiedade e perfeccionismo e quando perguntamos no que isso realmente atrapalha, percebemos que o defeito é melhor do que a qualidade, já que a ansiedade o faz entregar o trabalho dentro do prazo e o perfeccionismo o faz entregar o trabalho com qualidade. Não estou dizendo que a ansiedade e o perfeccionismo não são defeitos, há pessoas que são tão ansiosas que não conseguem entregar a demanda por enfrentar crises e há pessoas tão perfeccionistas que perdem o tempo de entrega do trabalho, aí sim, esses pontos devem ser acompanhados para a obtenção de melhores resultados.


Mas como dizer dos pontos fracos em um Processo de Seleção? Avalie o perfil da empresa, quais são os valores, visão e missão. Quais são as características do time? Quais são as competências necessárias para o cargo em questão? A partir dessas informações, avalie o que há no seu perfil e nas suas experiências que poderão contribuir para a vaga em questão, as valorize no momento da entrevista. Da mesma forma, avalie aquela competência comportamental que você ainda não tem, mas que consegue encontrar formas para desenvolver. Ao apresentar o seu ponto fraco, mas ao mesmo tempo a solução para o desenvolvimento, você estará mostrando uma visão estratégica e um foco na resolução de problemas, o que irá te colocar em uma posição de destaque.


Te conhecer, saber quais são as suas habilidades, o porquê você se comporta de determinada maneira, é fundamental para que você possa traçar metas que realmente vão te satisfazer, determinar o prazo e o caminho para que possa alcançar seus objetivos de forma assertiva. Da mesma forma, conhecer os seus pontos fracos é fundamental para criar estratégias para apresentar melhores resultados, caso o caminho traçado exija dada competência.


O Processo Coaching surgiu exatamente para apoiar o indivíduo a conhecer os seus comportamentos e apoiá-lo a traçar o caminho que o fará chegar no estado desejado. Não existe melhor pessoa do que você mesmo, para dar o primeiro passo, estar aberto para se conhecer e se responsabilizar a criar um plano de ação para tomadas de decisões assertivas para chegar a sua meta.


Agora que você já sabe a importância de se conhecer. Faça algumas perguntas para você mesmo: Quem é você? Quais são as suas principais habilidades? Quais são as suas principais fraquezas? Qual a sua meta para curto prazo (até 5 anos)? Qual é a sua meta a longo prazo (até 10 anos)? Qual das suas habilidades e hábitos te farão aproximar da sua meta? E quais as afastarão?


Se você teve dificuldade para responder alguma dessas perguntas, estamos aqui para contribuir e te ajudar a responder a essa pergunta: “Quem Sou Eu?”


0 visualização