• UP - Gestão e Pessoas

Você conhece a sua equipe?

O Diagnóstico Organizacional é uma ferramenta importante para conhecer as forças e as fraquezas da equipe, o que a motiva e o que impede o seu crescimento. Entenda como ele pode auxiliar o empresário a obter melhores resultados.


Diagnóstico é um termo relativo à “diagnose” que significa realizar descrição minuciosa. É comum pensarmos em diagnóstico para identificar problemas, e é mais frequente ouvimos este termo no vocabulário de profissionais da saúde, como Médicos, Enfermeiros, Fisioterapeutas e Psicólogos. Mas ele também é usado em outros contextos, como o das empresas, sendo nominado como Diagnóstico Organizacional. Mas o que seria isso?

O processo de Diagnóstico Organizacional tem por objetivo recolher e analisar dados para avaliar problemas de diversas naturezas, principalmente os relacionados ao comportamento de uma empresa. O foco é representar o mais fielmente possível a situação atual da organização, para auxiliar no planejamento de ações que gerem melhoria nos resultados. Gostamos de compará-lo a uma fotografia: é um processo que eterniza o momento atual, de forma que ao se ter vários registros (fotografias da empresa em momentos diferentes) é possível verificar mudanças e ter perspectivas do futuro.

Os métodos utilizados são procedimentos práticos e adaptáveis às especificidades de qualquer organização. Para tanto, é utilizada uma pesquisa interna que envolve coleta e cruzamento de informações por meio de observação, entrevistas e Pesquisa de Clima.


Como realizar?

Para esse projeto sugerimos envolver todas as pessoas que compõem o quadro de colaboradores da empresa, porque assim se coleta várias perspectivas e têm-se mais possibilidade de se chegar a um retrato fiel da empresa.

O projeto é composto por cinco etapas. As duas primeiras consistem numa entrevista individual com os membros da equipe (etapa 1) e com os líderes (etapa 2), através de um questionário estruturado. Para obter as informações é importante definir as perguntas que serão feitas, pois é desta forma que conseguirá gerar dados para entender a realidade do negócio. Não existe uma única forma de realizar o Diagnóstico Organizacional, mas a UP costuma iniciar com as entrevistas individuais. Por ser um método qualitativo, a entrevista permite um contato mais aproximado do entrevistador com o entrevistado, possibilitando mais abertura para coleta de dados e engajamento dos envolvidos. É importante manter um roteiro fiel, ou seja, ter perguntas previamente estruturadas, porque só assim poderá haver comparações de respostas. Uma entrevista bem direcionada permitirá maior facilidade para se transformar as respostas qualitativas em dados quantitativos.

Num terceiro momento, com a aplicação da Pesquisa de clima coletando dados objetivos, é possível confirmar as impressões das duas primeiras etapas. Ela também pode fornecer informações novas que nas etapas anteriores não foram captadas, mas que são relevantes para empresa. A Pesquisa de clima serve para mapear as percepções que os profissionais tem diante de temas relevante s dentro das organizações, como comunicação, colaboração entre as pessoas, estrutura física, relacionamento com a liderança, benefícios e remuneração, oportunidades de crescimento, entre outros. São temas como estes que fornecem subsídios para a detectar ou até mesmo constatar padrões comportamentais, problemas de convivência entre equipes ou conflitos dentro do próprio grupo. Além disso, a ferramenta se mostra eficiente para identificar também falhas na gestão e processos.

A quarta etapa contempla a união de todos os dados num mesmo relatório, interpretação dos resultados e criação de um plano de ações. É essencial que neste relatório conste apenas as informações coletadas e não quem as transmitiu. Uma gestão será madura para realizar um processo como esse se entender que o que importa são os fatos e dados coletados já que é a partir deles que serão tomadas ações de melhoria.

O quinto e último momento do projeto é composto pelo feedback para os envolvidos e a determinação dos prazos para a execução das ações aprovadas. Se a equipe foi ouvida, é essencial que ela tenha retorno sobre o projeto. E um ato no mínimo respeitoso, além de promover a melhora da comunicação interna. Tomando ciência das ações que serão feitas e os motivos pelos quais outras não foram aprovadas, é mais provável um engajamento de todos em projetos futuros em que a equipe seja novamente envolvida.

E porquê realizar um projeto como esse?

É comum os empresários terem dúvidas a respeito dos benefícios do Diagnóstico Organizacional por pensarem ser um projeto complexo ou por ter aplicação apenas em grandes empresas. Mas qualquer empresa que tenha pelo menos duas pessoas na equipe já é possível realizá-lo. Basta contar com alguém que saiba conduzir as etapas com discrição, sigilo e respeito aos envolvidos.

As vezes buscamos inovação fora da empresa, quando muitas respostas encontram-se dentro dela. As pessoas envolvidas nos processos tendem a ser as que possuem informações preciosas para que seja possível pensar em melhorias. Basta perguntar para elas.

O simples fato de dar a voz para a equipe é um combustível importante para a motivação, pois elas se sentem parte da empresa. Mesmo um colaborador insatisfeito tem informações importantes para compartilhar.

Se você ainda tem dúvidas sobre os benefícios do Diagnóstico Organizacional, gostaria de saber mais detalhes sobre como concretizá-lo na sua empresa e até ter exemplos reais de projetos já realizados, assista nossa palestra sobre esse assunto no Youtube.


416 visualizações